Consultas ao domicilio

Consultório veterinário – BioVETnatura -

Serviços Médico Veterinários especializados:

  1. Vacinação;
  2. Desparasitação;
  3. Microchip;
  4. Cirurgia em ambulatório;
  5. Serviço de urgências;
  6. Internamento;
  7. Análises clínicas.
O nosso consultório fica situado no Concelho de Santana, sito Rua Cónego Fernando Vaz, nº 10B – contacto 966529489

Visite-nos no nosso Facebook

Serviços veterinários ao domicilio na Ilha da Madeira

O veterinário vai ao encontro do seu animal…. – Santana, Machico, Santa Cruz, Caniço e Funchal .

Animais de pecuária: Porcos, Vacas, Galinhas, Ovelhas e Caprinos.

Animais de companhia: Cão e Gato.

 

Estamos abertos de segunda a sexta das 09h às 18h. (sábado por marcação)

             Contactos 966 529 489 – 291 575 122

Serviços veterinários ilha da madeira

 

veterinário madeira

Campanha de vacinação antirrábica + Microchip

Campanha de vacinação + identificação eletrónica;

 

 

O que é a Raiva?

A Raiva é uma doença viral que afeta o sistema nervoso central dos mamíferos incluindo o homem. O vírus encontra-se na saliva dos animais infetados. A doença é normalmente transmitida através da mordedura de um animal infetado com raiva, na maior parte dos casos cães e outros mamíferos.

  Porquê a identificação electrónica?

A identificação electrónica é o único método capaz de fazer uma identificação correcta. É aplicável à maioria das espécies como cães, gatos, aves, répteis e animais exóticos. Esta identificação é feita através da aplicação de um microchip.

É inclusive obrigatória para todos os cães nascidos após 1 de julho de 2008, sendo, para os cães nascidos antes dessa data, obrigatória para todos os pertencentes às seguintes categorias:

  1. cães perigosos e potencialmente perigosos conforme definido em legislação especial;
  2. cães utilizados em acto venatório (caça);
  3. cães em exposição para fins comerciais ou lucrativos, em estabelecimentos de venda, locais de criação, feiras e concursos, provas funcionais, publicidade ou fins similares.

A título informativo:

Contraordenações:

a) Nos cães, a falta de vacina antirrábica válida, devidamente certificada no Boletim Sanitário do Animal, bem como a falta de cumprimento das medidas determinadas pela DRA através da DSA V para o controlo de outras zoonoses dos canídeos, constituem contra-ordenação, de acordo, respetivamente, com as alíneas a) e b) do n. 0 3, do art. 0 14° do Decreto-Lei n. 0 314/2003, de 17 de dezembro, puníveis com coima de € 50 a € 3.740 ou € 44.890, consoante o agente seja pessoa singular ou coletiva.

b) A falta de identificação eletrónica devidamente certificada no Boletim Sanitário do Animal, em todos os casos em que esta seja obrigatória, constitui contraordenação, de acordo com o n. 0 1, do art. 0 19° do Decreto-Lei n. 0 313/2003, de 17 de dezembro, punível com coima de € 50 a € 1.850 ou € 22.000, consoante o agente seja pessoa singular ou coletiva.

Para mais informações contacte o nosso Médico Veterinário: 966529489 – 291575122

Campanha limitada ao stock existente, em vigor até 30 de abril de 2017.

veterinário madeira

Veterinários da Madeira – Responsabilidade social

Todos nós, veterinários e cidadãos temos uma quota responsabilidade no que diz respeito à proteção e salvaguarda da vida, seja humana ou animal. No entanto, além da simples salvaguarda, torna-se fundamental consciencializar para o afeto, carinho e TEMPO que um amiguinho de 4 patas precisa para ser feliz, e acredite…..ele vai retribuir!

Procuramos sempre, em qualquer ponto da Madeira, e de acordo com as nossas limitações, quer de espaço, quer de competência, (pois também não podemos desresponsabilizar as entidades responsáveis) encaminhar pela nossa rede de contactos adopções responsáveis e promover encontros eternos (sim porque muitos vivem para sempre connosco)…..

Este é mais um caso!!!!
Cadelinha de 2 meses para adopção, de porte pequeno (cruzamento de Teckel com Pinscher)

Quem quiser adotar este amiguinho entre em contacto connosco através do nosso facebook Consultório Médico VeterinárioBioVETnatura ou através dos contactos telefónicos: 291575122 – 966529489

Consultório Veterinário: Em Santana, abaixo da Igreja Matiz

Consultas ao domicílio: Em Machico, Santa Cruz, Funchal e resto da Ilha

veterinarios-madeira

Veterinários da Madeira / Sociedade Civil

Os Veterinários vão continuar a lutar.

Penso que escrevo em nome dos Veterinários da Madeira, nós estamos alerta e vamos atuar quando descobrirmos situações de maus tratos como a que me chegou esta semana, seja em que Concelho for da Madeira. Quem tiver conhecimento de situações de abandono, faça-nos chegar essa informação.

O abandono de animais é algo tão cruel quanto a própria violência física – e, infelizmente, acontece com frequência. Esta semana foi um pouco dura do ponto de vista da tomada de consciência de que ainda existem aqui na Madeira muitos animais que sofrem maus tratos e abandono, já o sabíamos, mas mesmo assim foi como que um “wake up call”. Estamos a lidar com um caso de um cão abandonado, atropelado e em enorme sofrimento. Fomos busca-los e estamos a cuidar dele com os melhores cuidados médicos possíveis e com carinho e ternura. Mas, enfim, estamos ainda em choque como é possível haver pessoas sem coração e tão desumanas que conseguem deixar o seu companheiro de muitos anos está ali, ferido, desamparado, agoniado e cheio de tristeza. A nós Veterinários, compete-nos atuar e exercer de forma profissional socorrendo estes amigos de 4 patas.

Mas também, nós veterinários temos a responsabilidade social de apurar responsabilidades, mas também sensibilizar sempre que possível.

Este vídeo emocionante, criado pela 30 Millions d’Amis, uma fundação que defende os animais, critica essa atitude de abandono, tocando em um ponto sensível: um cachorro nunca abandona seu amigo humano, mesmo que este o faça.

“Ele nunca te vai abandonar. Não abandone”.

 

veterinarios-madeira

Os Veterinários na Madeira – História

A Medicina Veterinária, como ciência, tal como a entendemos nos dias de hoje, teve a sua origem em 1762 quando Claude Bourgelat criou em Lyon, na França, a primeira Escola de Veterinária, instalando, ele próprio, a segunda em Maison Alfort, nos arredores de Paris, em 1765.

Em 1819, a pedido insistente do Marquês de Marialva, então nosso embaixador em Paris, partiram para a faculdade de Medicina Veterinária de Alfort um grupo de seis estagiários portugueses, mas apenas quatro viriam a completar o curso, tornando-se Médicos Veterinários.

Foram ele que criaram em Portugal a Escola Militar Veterinária em 1830.

Entre vários cargos existiram os  “Veterinários Distritais”; “Intendente de Pecuária”, entre outros ligados ao apoio à produção animal e ao sector da sanidade animal.

Em relação à Ilha da Madeira pode-se presumir que a atividade médico-veterinária apenas teve o seu início em 1862

Nessa altura foram criados serviços do estado para apoio à pecuária, estudo da flora forraginosa e o recenseamento dos gados, mas os médicos-veterinários também possuíam atribuições sanitárias, policiais e higiénicas, como medidas de combate às epizootias (doenças contagiosas que atacam um grande número de animais ao mesmo tempo e na mesma região e que se propaga com rapidez, correspondente às epidemias nos humanos) e enzootias (doenças que, em determinadas regiões, afeta constantemente os animais que nelas vivem), a possibilidade de produzir editais públicos, de efetuar a vigilância de feiras, mercados e matadouros, a inspeção de tanques e bebedouros públicos de gado e a divulgação de preceitos e regras gerais de higiene do gado, bem como deveria enviar todos os anos, ao órgão de governo competente, um relatório sobre a situação pecuária do seu distrito.

Após certo tempo também era permitido aos veterinários a título facultativo exercer atividade clínica.

Hoje certamente muitos anos depois já somos alguns no exercício desta profissão maravilhosa que é ser Veterinário. Aos veterinários que iniciaram este percurso na Madeira o meu obrigado por desbravarem caminhos e por dignificarem a nossa profissão ao longo destas décadas.

Fonte:

João Carlos dos Santos de França Dória – “A Medicina Veterinária na Madeira – de 1862 a 1974″ – DICA

 

funchal ilha da madeira

Campanha de Vacinação + Microchip para gato

Porque devo colocar o microchip?

Todos os anos, milhares de animais desaparecem de suas casas. Ao mínimo descuido – uma porta ou janela entreabertas – o seu animal pode abandonar o lar à procura de novas aventuras (Ex: fêmeas em cio, machos na época de acasalamento, desorientação). Por outro lado, o roubo é também cada vez mais frequente.

Em inúmeras situações a identificação electrónica tem feito com que os donos encontrem os seus animais.

Assume especial relevância alertar os donos para este facto, uma vez que acompanhamos de perto o sofrimento dos nossos clientes com a perda dos seus animais de estimação.

 O que é a Identificação electrónica?

A identificação electrónica é o único método capaz de fazer uma identificação correcta. É aplicável à maioria das espécies como cães, gatos, aves, répteis e animais exóticos. Esta identificação é feita através da aplicação de um microchip.

O que é e como funciona o microchip?

O microchip é uma pequena cápsula electrónica do tamanho de um grão de arroz que possui um código de barras individual, único e permanente.

É colocado na face lateral esquerda do pescoço e apenas pode ser lido por um leitor de micro-chip.

Os dados do proprietário e do animal ficam armazenados numa base de dados (SIRARAM e/ou SICAFE). Sempre que um animal portador de microchip é encontrado, através destas duas bases de dados consegue-se entrar em contacto com o proprietário do animal.

Para mais informações contacte o nosso Médico Veterinário: 966529489 – 291575122

Campanha limitada ao stock existente!

 

veterinários madeira

Área de agricultura biológica continua a crescer

O futuro é promissor e é fácil perceber que a agricultura tal como está formatada tem os dias contados. Essa é já uma realidade e uma boa noticia para todos nós!

A Madeira tem um Plano Estratégico até 2020 para o setor e o Governo Regional pretende tornar a agricultura biológica predominante na região, tendo definido medidas que visam o aumento da área em 7% e do número de agricultores em 10%, ao ano, até 2020.

Esperemos que assim aconteça!

O número de agricultores biológicos na Região Autónoma ronda os 115, (contando com os que estão em fase de conversão), para uma área de cultivo de 150 hectares.

«O objetivo geral do plano é o de impulsionar a agricultura biológica de forma significativa, quer em número de produtores, quer em área»

2016 ainda não acabou, mas os dados de 2015 não enganam.

Portugal chegou a 2015 com uma área dedicada a agricultura biológica de 241.375 hectares. Na União Europeia (UE), só o Reino Unido e a Holanda registaram um decréscimo entre 2010 e 2015.

O território português tinha, no final do ano passado, 214.375 hectares de área agrícola dedicada a culturas biológicas, segundo os últimos dados analisados pelo Eurostat, divulgados esta semana.

Os números, segundo o gabinete de estatística da UE, representam um aumento de 14,4% face à área de agricultura biológica que o país detinha em 2010. Em termos de peso sobre toda a á área agrícola cultivada, o peso aumento 0,7 pontos percentuais entre 2010 e 2015, para 6,5%.

A agricultura biológica (“orgânica” na definição inglesa e adotada por alguns Estados-membros) «combina as melhores práticas ambientais, um nível elevado de biodiversidade, a preservação de recursos naturais e padrões elevados de produção baseados em substâncias e processos naturais», recorda o Eurostat.

«Fornece uma resposta específica do mercado a uma procura específica do consumidor», ao mesmo tempo que cumpre os requisitos em termos de «proteção do ambiente, bem-estar animal e desenvolvimento rural», acrescenta.

Nos 28 Estados-membros que compõem a UE, havia «mais de 11 milhões de hectares de área certificada ou em conversão em 2015» de agricultura biológica, representativa de 6,2% Da área agrícola utilizada na UE naquele ano.

Entre 2010 e 2015, 26 dos 28 Estados-membros, ainda assim, registaram aumentos das suas áreas agrícolas biológicas. Apenas o Reino Unido e os Países Baixos registaram um decréscimo da área dedicada a esta forma de fazer agricultura, de 29% e 4%, respetivamente.

Em sentido contrário, os maiores aumentos verificaram-se na Croácia (mais 377%), Bulgária (mais 362%) a França (mais 61%) e a Irlanda (mais 53%) foram os Estados-membros em que se verificaram maiores crescimentos da área agrícola biológica entre 2010 e 2015.

Fontes: Jornal de Negócios

Agronegócios

Lusa

clínica veterinária, consultório

A Parábola do Semeador

Quem não conhece ou já não ouviu falar na parábola do Semeador, uma das parábolas de Jesus encontradas nos evangelhos.

Nesta história, um semeador deixou cair uma semente no caminho, em terreno rochoso e entre os espinhos, e ela se perdeu, mas quando a semente caiu em boa terra, cresceu, multiplicando por trinta, sessenta e cem a colheita.

Assim como nós lançando sementes à terra que se multiplicam e alimentam muitas mesas na nossa maravilhosa ilha. O segredo está na qualidade das matérias-primas, sementes biológicas certificadas, turfa autorizada para agricultura biológica e composto produzido na nossa Quinta.

Tal como este semeador de há alguns milhares de anos atrás, ser semeador hoje continua a ser deveras importante.

Vamos todos semear?

vacinas veterinario

Consultas veterinárias ao domicilio
Alfaces e couves
COnsultas ao domicilio

A produção animal

Desde muito cedo percebemos o quanto importante seria a integração de animais na exploração, por diversos motivos, no entanto torna-se fundamental que se proporcionem as condições ideais para que os mesmos vivam com a dignidade que lhes é devida e tal como está regulamentado.

“A produção animal é um elemento fundamental da organização da produção agrícola nas explorações biológicas, na medida em que fornece as matérias orgânicas e os nutrientes necessários às terras cultivadas, contribuindo assim para a melhoria dos solos e o desenvolvimento da agricultura sustentável.  Reg. (CE) 834/2007 do Conselho

A nossa equipa trata esta matéria como prioridade e demonstra como é possível o fazer aproveitando materiais que abundam pelas explorações.

Felizmente temos uma veterinária a quem compete as questões do bem estar animal, e todas as restantes questões relacionadas com a saúde dos mesmo, tornando-se assim muito mais fácil a gestão da componente pecuária.

Consultório Médico Veterinário

Estas instalações são na quinta da Ventos do Boqueirão. Tratamos aqui de criar um espaço ao ar livre para que os porcos pudessem ter contacto com a terra e receber a luz do sol e chuva aproximando ao máximo às condições naturais.

Veterinário consulta domicilio
Porco da serra
Consultas domicilio, porco e vacas
Raça alentejana

 

Materiais
Materiais
BIOVETNATURA
Materiais
consultas domicilio veterinário, santana, machico, funchal
ao ar livre
veterinários funchal

A Agricultura biológica

A agricultura biológica pode alimentar todo o planeta?

A agricultura biológica é também designada por “agricultura orgânica” e é considerada como uma modo de agricultura sustentável. É um sistema de produção que exclui definitivamente os químicos de síntese e usa outras técnicas preventivas de de acção para manter um solo vivo e produtivo.

A agricultura que utilize estas técnicas e que seja de pequena escala foca-se na ligação entre a planta, o solo, o animal e o homem. Esta é a sustentabilidade. Este é o caminho para o fim da fome e das guerras pelo poder económico alimentar.